terça-feira, 7 de abril de 2015

MINÉRIO

FERBERITA
Um tungstato ferroso. FeWO4. Sistema cristalino: monoclínico, prismático. Membro intermediário entre a wolframita e a hubnerita. Junto com a ferberita, os três minerais são a principal fonte e tungstênio. A presença do ferro em sua estrutura é responsável pela sua cor preta e da opacidade em relação à hubnerita. Ocorrem: nas veias de altas temperaturas hidrotermais, pegmatitos graníticos e em depósitos aluviais. Origem: rochas ígneas e metamórficas. Cor: preto e marrom escuro. Hábito: cristais tabulares, prismáticos e comumente achatados e alongados. Clivagem: perfeito. Fratura: desigual. Tenacidade: quebradiço. Dureza: 4 a 4,5. Densidade: 7,5. Brilho: submetálico para metálico adamantino. Risco: preto a escuro acastanhado. Diafaneidade: opaco. Fusibilidade: resistente à fusão. Em associação com o quartzo, hematita, arsenopirita, fluorita, apatita, siderita, dolomita, cassiterita e calcopirita. Usos: como minério de tungstênio e altamente desejado por colecionadores. Jazimentos na Bolívia, Brasil, Cazaquistão, China, Peru, Portugual, República Checa e Romênia. Descoberto em 1.863, pelo mineralogista alemão Moritz Rudolph Feber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário