sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

MINÉRIO

LIMONITA

Óxido de ferro hidratado (ferro pardo), sem estrutura cristalina interna, amorfo. Fe(OH)3nH2O. Sistema cristalino: ortorrômbico. A limonita não é um mineral, mas uma mistura de diversos óxidos de ferro, entre os quais a goethita e a lepidocrocita. Por esta razão a limonita é considerada uma rocha. A limonita é uma rocha secundária que se forma por alteração de outros minerais preexistente, obviamente de ferro. Aspecto e características: nunca cristaliza e se apresenta em forma terrosa, esponjosa, compacta, concrecionada, estalactita, mamelonar, botroidal ou pisolítica. Origem: rocha sedimentar. Diafaneidade: opaco. Fratura: concoidal, terrosa. Clivagem: não apresenta. Densidade: 2,70 a 4,30. Dureza: 4,5 a 5,5. Cor: amarelado, amarronzado e negro de ferrugem. Risco: amarelado ou amarronzado. Brilho: terroso, nacarado e fosco. Geralmente contém de 40 a 66% de ferro. O nome vem do grego, leimon = pântano, indica o ambiente que origina esta rocha, denominado de ferro de pântano. Uso: menos como minério de ferro, pigmentos, revestimento e construção civil. As amostras em tela são limonitas aglomeradas com cascalhos cristalinos. A especíme menor é ferromagnética. Esta rocha é conhecida na região de Uberaba MG, como Tapiocanga. Esta Igreja de São Domingo (em Uberaba) foi construída em 1.899 pelos Dominicanos com rocha Tapiocanga, uma rocha que é minério de ferro.

Um comentário: